Notícias Criptomoedas e criptomoedas

Qual é o futuro da mineração na Europa?

As horas que nos separam do agora iminente metade pela BTC são objecto de ampla reflexão. Não apenas entre investidores, mas também entre mineradores.
Se as chinesas e iranianas contam com baixíssimo custo de energia elétrica e, portanto, podem olhar o evento com certa serenidade, o mesmo não se pode dizer das empresas de mineração operando dentro doZona Euro, onde as condições de venda de energia elétrica são consideravelmente menos convenientes.
Justamente por isso, a discussão sobre o que fazer já começa há algum tempo e se concentra nas perspectivas futuras da atividade mineradora. Então, vamos ver o que acontecerá a esse respeito.

Algumas partes do velho continente se prestam à atividade

O primeiro facto que chama a atenção é o relativo ao facto de algumas partes do continente europeu também serem capazes de oferecer condições de concorrência a quem pretende minerar. A referência é acima de tudo para Suécia e Islândia, onde as contas de energia ainda são bastante modestas em comparação com o resto da zona do euro.
No entanto, é casos isolados e, portanto, a busca por formas alternativas de mineração deve necessariamente levar em consideração outros fatores. Entre as quais o que ela prevê começa a abrir caminho o uso do excesso de energia de usinas nucleares ou para a atividade de extração de blocos. Um modus operandi que, depois de chegar aos Estados Unidos, começa a se estabelecer também em Germania.

A importância da política

Outro fato que está emergindo com força é o que se refere a estabilidade política. Também é muito importante para as empresas de mineração ter um quadro legislativo estável à sua disposição.
Se Irã e em China já houve várias vezes a mudanças de rumo neste sentido de não pequena importância, no velho continente a estabilidade parece estar na ordem do dia, mesmo no caso de mudanças nas estruturas de governo.
Para quem decide investir quantias consideráveis, contar com um arcabouço político capaz de dar certezas é uma necessidade imperativa. Uma característica que certamente não falta na União Europeia e que, por isso, aconselha muitos empresários do sector a aí permanecerem sem embarcar em aventuras com resultados imprevisíveis.

Isenções fiscais em Portugal

A estabilidade política pode ser uma pré-condição, mas não se traduz em benefícios imediatos para quem pratica a mineração. Enquanto o isenções que um país como o Portugal decidiu conceder aos mineiros que os incentivassem a escolher o território lusitano para estabelecer suas fazendas.
Um caminho que logo poderá ser seguido também por outros países, embora em última análise não represente um fator capaz de criar uma concorrência efetiva com países como a China ou os Estados Unidos, que podem apresentar um quadro consideravelmente mais favorável sob esse ponto de vista.

A esperança para as mineradoras européias está nas citações

Diante do exposto, não é surpreendente que, de acordo com muitos analistas, o destino dos mineiros europeus seja decidido por preço ao qual o Bitcoin uma vez ohalving.
Se o preço aumentar conforme previsto, será possível lidar com o custo muito alto da eletricidade; do contrário, será muito difícil pensar em continuar a minerar como fazia antes de as recompensas caírem pela metade.

Comprando criptomoedas? Binance de câmbio Binance

Dario Marchetti

Eu me formei em Literatura e Filosofia na Universidade Sapienza de Roma, com uma tese na fronteira leste da Itália no final da Primeira Guerra Mundial. Eu colaborei com vários sites em muitas questões e liderei o grupo de trabalho que publicou o CD-ROM oficial da SS Lazio "História de um amor" e "História fotográfica da Roma mágica".

Publicações semelhantes

Deixe um comentário

Il tuo indirizzo e-mail não sarà pubblicato. I campi sono obbligatori contrassegnati *

Voltar ao topo botão